PITZI e a Síndrome da Lagartixa

Um certo cientista, criava num pequeno aquário, uma lagartixa. Diariamente, antes de servir comida a ela, tocava um sino que anunciava a refeição.
Ele repetiu o hábito por tantos dias, que a lagartixa aprendeu que o sino indicava comida no coxo, e logo que o escutava preparava o barriga para a suculenta mosca que seria servida.
Certa feita, ao acaso, assim sem querer, o cientista tocou o sino fora da hora, e obviamente não colocou lá a mosca. Mas mesmo assim, a lagartixa se prostrou em frente ao coxo, e aguardou, imóvel.
Achando aquilo curioso, o cientista deixou que se passassem os minutos, e depois as horas e nada de a lagartixa se mexer. Passou-se um dia, dois, três e nada. Por fim, a lagartixa se estrebuchou e morreu de fome, mas sem arredar as patas do lugar, ainda surpresa de a mosca não ter aparecido mesmo o sino tendo sido tocado.

No meu grupo de amigos, quando algo extremamente inesperado acontece, seja bom ou ruim. Algo que nos deixa alguns segundos paralisados pela surpresa, chamamos de síndrome da lagartixa. Um erro na Matrix, algo que não deveria acontecer.
Acontece muito no dia a dia, vocês sabem… quando sua namorada aparece na sua casa do nada com “aquele” olhar, quando seu time toma um gol contra aos 47s do segundo tempo, quando seu chefe te chama na sexta às 17:57h, e do nada te dá um aumento, ou quando ao atravessar a rua você percebe que por trilhonésimos de segundo não foi atropelado. Você fica ali paralisado alguns segundos pensando: –Vixi, o que foi que eu fiz? –Não é possível! –Estou sonhando?

Já no quesito serviços, a síndrome da lagartixa já é mais rara, isto porque dificilmente empresas prestadoras nos surpreendem com um bom atendimento, por outro lado o mau atendimento delas já não nos causam por assim dizer, surpresa.
Mas as vezes acontece. E aconteceu comigo estes dias. Eu fiquei uns bons minutos ali paralisado, até que um sorriso se esboçou no meu rosto em complemento à deliciosa surpresa que recebi.
Ei, este não é um publi-editorial, pelo menos não do tipo pago, mas se você achou o meu post sobre a GVT exagerado, pare de ler aqui, pois muita seda irá sofrer em minhas mãos!

Outro dia meu celular sofreu um terrível dano, e não foi só a tela que quebrou. Ele se desprendeu do suporte de GPS e foi atropelado por pelo menos uns 15 pares de roda até que eu consegui parar o trânsito e recupera-lo, ou pelo menos o que restou dele. Ficou tão destruído que tive que desmontar o que sobrou da carcaça para remover o cartão SIM. Espetacularmente apenas a tela LCD não quebrou (o touch por outro lado foi pro saco).

Fora a frustração, nada podia ser feito, pois nem a mais mágica cola faria aquele celular voltar a vida.
–Bom, pelo menos tenho o S3 inteirinho ainda. Pensei.
Dias depois, me lembrei que sou burro, pois tinha a alguns meses atrás havia me cadastrado no serviço da PITZI a convite de seu dono, o auto-denominado gringo, Daniel Hatkoff, que estava querendo iniciar o atendimento da PITZI no estado de Minas Gerais.

pitzi

Para quem não conhece, a PITZI é uma empresa que vende uma espécie de seguro contra defeitos e quebras do seu Smartphone.
O objetivo deles é acelerar o processo de garantia (se houver) ou consertar o seu celular o mais rápido possível (geralmente em 5 dias). Em casos extremos como o meu, a PITZI te dá um celular novinho em folha, do mesmo modelo ou melhor, mediante a taxa de R$ 75,00. A PITZI só não cobre furto, perda ou mau atendimento de funcionários da VIVO.

Bem, eu não sei se algum de vocês já passou pela experiência de entrar em contado com uma seguradora, mas resumindo é um chute na orelha. Então foi com muita má vontade que me dirigi ao site da PITZI e segui as instruções para solicitar a ajuda deles. Primeiro ponto positivo, o site é limpo, rápido e direto ao ponto. Pude escolher ligar para São Paulo e falar com um atendente ou mandar um email. Escolhi o email por ser mais cômodo.

Não demorou nem 15 minutos, recebi um email resposta:
Obrigado por entrar em contato com nosso serviço robotizado de atendimento ao cliente PITZI….não não não espere… isto foi o que a síndrome da lagartixa fez o meu cérebro pensar que seria! Na verdade o email que recebi era assim:

Oi, Antonio. Bom dia!

Que pena o que aconteceu com seu celular. É de partir o coração, né? Mas fique tranquilo, que ele será muito bem cuidado =)
Antes de seguir qualquer procedimento, poderia confirmar alguns dados com você?
Você é sócio do nosso Clube desde que mês, Antonio? =)
Ja já te falo os próximos passos, viu!😉
Fique à vontade em me contatar, se tiver qualquer dúvida, ok?
Meus telefones são: XXXXXXXX ou XXXXXXXXX.

Um abraço,
Juliane

Haaammm… como assim?! Como ela ousa ser tão gente fina? Como vou descarregar minha frustração por ter tido meu celular destroçado com uma atendente que coloca Smiles em seu email de atendimento? Tem algo errado ai. Aposto que ela em seguida vai me pedir para mandar 400 milhões de documentos com cópias autenticadas para São Paulo e depois vai me enrolar.
Maaas! Felizmente não tinha nada errado, após algumas trocas ágeis de emails combinamos que seria mais rápido eu enviar o celular (ou o que sobrou dele) para a PITZI e eles iriam avaliar o que poderia ser feito.
No dia seguinte ao envio pelo SEDEX (geralmente eles te mandam uma caixa própria da PITZI para o envio). Recebi outro email:

Antonio, boa tarde!

Nossa, estava começando a escrever um email para você agorina🙂
Acabei de receber seu amiguinho aqui, nossa, tadinho dele! =/
Mas não se preocupe que um comparsa novinho estará chegando para você no máximo até segunda-feira! O que você acha? Toparia?

Um abração,
Juliane

Haaammm… como assiiiiiimmmmm! Em menos de 7 dias eu teria um celular novinho em folha? Pagando apenas a franquia de R$ 75,00? E ainda descontado o valor do SEDEX? OK, onde está o golpe? Não é possível!!!1 Aceitei na hora!

Como nem tudo são flores, pelo fato do meu celular ser um modelo mais velho, iria demorar um pouco para conseguir outro igual, sendo assim me ofereceram a opção de esperar mais alguns dias ou escolher um outro modelo, sendo que ambas as opções oferecidas eram bem melhores e mais novas do que o que eu tinha! Escolhi a segunda opção.

Assim, no dia seguinte, o carteiro me perturbava às 07:50h da manhã com um pacote suspeito. Uma caixa preta com um laço, e que ao abrir revelou um Xperia S novinho, lacrado, que foi prontamente tomado de minhas mão por minha esposa (para nunca mais voltar) enquanto eu estava mais uma vez paralisado, tal qual a lagartixa da história, pensando: – Como é possível?

Olha, eu tenho medo de recomendar certos serviços mirabolantes, pois geralmente eles não cumprem facilmente o que prometem. Mas como não recomendar a PITZI? Não há um único senão no serviço deles. O preço é justo, R$ 15,00 por mês (varia de aparelho para aparelho), a franquia é baixa, o site é simples e fácil de navegar, os termos de serviço são claros e minimalistas como se você estivesse comprando um cachorro quente, a resolução de seu problema é rápida e a atendente é tão legal, mas tão legal, que sinto vontade de jogar meu Galaxy S3 na parede, só para ela me atender de novo (depois vou stalkear o facebook pra ver se acho fotos).

Sendo assim crianças, escutem o tio Tonywalker, se vocês amam seus caríssimos Smartphones, se temem pelo bem estar deles, mas não querem sofrer nas mãos das assistências técnicas ou de garantias, assinem a PITZI. Eu aprovo!

Uma resposta para PITZI e a Síndrome da Lagartixa

  1. Vivi disse:

    Oi,
    Estou querendo falar com essa empresa ai PITZI… mas to meio com o pé atras… o que acha?

%d blogueiros gostam disto: