Suprema Corte dos Estados Unidos Derruba Lei Anti-Games

Vi no site do Omelete a seguinte ótima notícia:

A Suprema Corte dos Estados Unidos publicou oficialmente um parecer a respeito do caso Brown v. The Entertainment Merchants Association, que discutia a constitucionalidade de banir a venda de games violentos para menores de idade. Foram sete votos contra a exclusão dos games e dois a favor.

No parecer:

“Como os livros, peças de teatro, e filmes que os precederam, os videogames comunicam ideias – e até mesmo mensagens sociais – por meio de muitos dispositivos literários (como personagens, narrativas, diálogo e música) e por meio de características distintas de sua mídia (como a interação do jogador em um mundo virtual). Isto é suficiente para conferir aos games a proteção da Primeira Emenda. De acordo com a Constituição, ´valores estéticos e morais sobre arte e literatura são para o indivíduo escolher, e não para o Governo decretar, mesmo com mandato e apoio de uma maioria´”.

A opinião dissidente de Thomas e Breyer é:

“As práticas e crenças da geração que fundou e estabeleceu a ´liberdade de discurso´como entendida originalmente, não inclui o direito de falar a menores de idade, sem a aceitação de seus pais e guardiões. Assim, acreditamos que a lei em dscussão não é anticonstitucional frente à Primeira Emenda”.

Fonte: www.omelete.com.br

Não sou a favor que crianças joguem determinados tipos de games, assim como não sou a favor que vejam alguns tipos de filmes/seriados/novelas. Mas sem dúvida alguma é função dos pais cuidarem do que os filhos estão tendo acesso, e não do Governo.

Parabéns aos americanos, num pais tão cheio de nhem-nhem-nhem, a Suprema Corte mandou bem! ALÔÔÔ STJ!!!! ALÔÔÔ Deputados! ALÔÔÔ Presidenta!

Anúncios

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: