Moto nova, vida nova!

Embora não tenha comentando nada aqui, já a algum tempo vendi a Speed 150 da Dafra e estava em busca de uma nova moto. Da Speed ficou a sensação de bonitinha mas ordinária, pois nunca vi um produto tão, mas tão problemático! E olhe que já fui assíduo usuário de placas mãe PC-Chips😀 (pé-de-china), portanto comprar outra moto sino-brasileira estava descartado. Fiquei na dúvida sobre a nova TITAN 150 da HONDA ou a FACTOR 125 da YAMAHA. O principal problema era o preço, pois ambas na minha opinião custam muito caro sendo motos tão simples.

Eis que a sorte bate em minha porta, uma das empresas onde trabalho tinha uma pequena frota de motos guardadas desde de 2004. Eram modelos Honda Bros 125 ano 2004. Duas brancas com partida a pedal, uma azul também a pedal e uma branca com partida elétrica. A muito tempo atrás, antes de comprar a Speed eu tive vontade de comprar uma destas motos, mas a empresa estava impedida judicialmente de vende-las por problemas que não tomei conhecimento.
O problema foi resolvido logo depois que eu comprei a Speed, e agora depois de me livrar dela surgiu a vontade de comprar uma destas motos. Todas elas com menos de 5000km rodados.

Quando fui averiguar eles já haviam vendido 3 delas, tendo sobrado apenas uma das brancas com partida a pedal.
Ela estava encostada já a uns 3 anos, e embora tivesse rodado apenas 2850km, o tempo é um inimigo cruel para motocicletas que ficam muito tempo paradas.

Pedi para ficar com a moto por uns dias e testar para ver como ela se comportava comigo, o que foi permitido.
A primeira impressão foi – Nossa, como é alta! Mesmo medindo mais de 1,80m senti as pernas bem esticadas com ela parada, e quando andei, a diferença causada pelo centro de gravidade mais alto também me incomodou um pouco.
Mas bastou dar umas voltas com a moto para saber de uma vez por todas que este é o meu estilo! Senti a moto muito mais sob controle do que qualquer outro modelo Street. A posição de pilotagem quase sentado é muito confortável, e a coroa enorme oferece uma força muito grande mesmo para um motor OHV de 125CC, enfim apaixonei com a moto.

A primeira coisa que fiz foi leva-la numa concessionária da HONDA perto de casa e solicitar que fizessem uma revisão completa, também troquei a bateria que estava pifada e coloquei os retrovisores originais e as alças do carona que haviam sido retiradas sei lá porque. Gastei de cara uns 350,00 nesta brincadeira, mas a moto se tornou minha eleita!

Só faltava acertar a compra! No total a moto sairia para mim por R$5.000,00, o preço da tabela FIPE com pagamento parcelado sem juros. Um negócio excelente!

No entanto depois de mais de um mês com a moto, o dono da empresa manda me ligarem e diz que desistiu da venda… como eu não tinha assinado nenhum tipo de contrato teria que devolver a moto sem choro, e eles me ressarciriam dos gastos que tive com ela.

Não tive dúvidas, corri na concessionária e comprei uma novinha, 0KM, modelo 2009. Com o apoio da minha magnífica esposa ficou melhor ainda (não é fácil uma esposa que deixa o marido trocar de moto todo ano)! Hoje fui busca-la.

hondabross

Comprei uma preta/prata, partida a pedal mesmo pois não sou fã de partida elétrica, e nem de freio a disco.
O problema com o disco é que minha mão é muito pesada e já passei por muito aperto por conta disto, alicatar o disco de freio comigo é como respirar, faço naturalmente. E como não sou de correr o freio a tambor me serve muito bem.

Minha única preocupação era realmente a injeção eletrônica, pois a incidência de problemas neste tipo de tecnologia é realmente muito maior do que nos modelos carburados. Mas dei uma pesquisada na internet e não achei nada muito relevante com relação a este modelo da Bros, não vi usuários reclamando (o que é ótimo) e achei apenas opiniões positivas sobre o modelo.

Terminadas todas as formalidades da entrega da moto, montei e dei a partida para ir embora. E ai vi como fui feliz de comprar este modelo.

Logicamente que eu esperava uma moto mais potente pois ela tem 150CC e tem motor OHV (contra 125CC OHC da outra), mas não imaginei que a injeção eletrônica fizesse tanta diferença. Uma mínima movimentação no acelerador e a moto já responde prontamente. Nada de ficar acelerando forte para andar, basta um toquinho gradativo que a IE faz o resto sem esforço.

O motor é ultra silencioso e teve até momentos que achei que a moto tinha morrido pois não conseguia escutar seu funcionamento.

No teste mais complicado que consiste em subir a montanha onde moro com a esposa na garupa, a moto esnobou, subiu de segunda tranquilamente e ainda pediu a terceira lá em cima.

No teste UAU dos vizinhos ela está reprovada, pois depois de quatro motos diferentes na garagem em menos de um ano estão achando que sou traficante ou político.

PONTOS POSITIVOS:

– Motor muito silencioso e potente
– Injeção eletrônica entrega o funcionamento da moto super macio e sem engasgos
– Tem força de sobra para andar com garupa seja no reto ou no morro
– Bagageiro animalescamente fodástico que já vem de fábrica
– Marcador de gasolina (embora isto seja fundamental com a IE)
– Guidom mais largo e confortável

PONTOS NEGATIVOS:

– Banco mais duro e mais fino que nos modelos antigos
– Falta a trava para capacete (o que a HONDA estava pensando????????)
– Carenagem do tanque ficou maior mas não ficou mais rígida, o que deixa a impressão de fragilidade
– Cores bregas (amarelo/prata e vermelho/prata, a preta/prata é linda)
– ShutterKey é difícil de encaixar
– O plástico injetado das carenagens arranha até com algodão
– Acelerador muito molengo
– Farol continua fraco

2 respostas para Moto nova, vida nova!

  1. Charles Mendes disse:

    Logo logo quero uma Bross 2009 dessas, que vi na concessionária e amei!! Pena que não aceitaram minha moto como parte do pagamento…

    Por enquando vou seguindo com minha POP100 entre os corredores de nossa Marginal Tietê… Sem pressa, feliz, e vivendo um dia de cada vez.

    Quando você ver uma popinha amarela, buzine! Muito provávelmente serei eu.

  2. TonyWalker disse:

    A minha é azul, e está guardadinha lá na garagem.
    Eu finjo que estou tentando vender ela e minha esposa finge que acredita.
    Gosto muito da POP. Foi minha primeira moto. E aprendi a pilotar sozinho com ela.
    Qualquer dia coloco a história aqui.

%d blogueiros gostam disto: